Boi Garantido vence festival de Parintins - Fotos - cultura

Rondônia, 31 de Outubro de 2014

Ferramentas e Abrazivos

cultura

Postado em 02/07/2013 12:33 h | Fonte: Veja Noticias

Boi Garantido vence festival de Parintins - Fotos




O Boi da Baixa do São José superou o rival, Caprichoso, com seis décimos de diferença. A festa da vitória será no próximo sábado, em Manaus.

Boi Garantido vence festival de Parintins - Fotos

Após três dias de apresentações, o Boi-Bumbá Garantido sagrou-se campeão do 48º Festival Folclórico de Parintins. Com o tema \\\"Garantido, o Boi do Centenário\\\", o bumbá apostou na história do Boi da Baixa do São José, desde a criação até a contemporaneidade, para encantar o público e fisgar a preferência dos jurados. Com um apanhado da história do boi encarnado, o Garantido bateu o Caprichoso por 1259,1 a 1258,5 pontos.

Primeira Noite

Na edição 2013, o Festival Folclórico de Parintins foi marcado pela tradição cantada e representada em alegorias, aliado à energia da torcida. O destaque da apresentação da primeira noite do touro encarnado foi a homenagem realizada ao fundador Lindolfo Monte Verde. Brincantes do Boi Vermelho e até aqueles que o assistiram pela primeira vez conheceram a gênesis do Boi da Baixa. Traços do passado, como a figura típica do seringueiro, tiveram a estrutura do lendário Teatro Amazonas como palco para a encenação vermelha.

Um balão no alto do Bumbódromo trouxe o Boi Garantido, que aterrissou no meio da galera. O bumbá incendiou a apresentação ao descer da galera e evoluir no chão da arena. De acordo com a diretoria do Garantido, o balão subia 15 metros e descia.
Um dos pontos altos do espetáculo foi a lenda amazônica \\\'Mapinguari\\\'. A galera, eufórica, ainda vibrou com o ritual indígena dos \\\'Parintintins\\\'. Itens como Sinhazinha, Amo e outros personagens do auto brincaram de boi na arena. A porta-estandarte Verena Ferreira e a cunhã-poranga Tatiane Barros dançaram e comandaram, de forma enérgica e sensual, performances tribais com fantasias de índias guerreiras. Em seguida, evoluíram para os jurados, ao som das toadas temas de cada uma, como \\\'Deusa Cunhã\\\'.

Segunda Noite

No sábado (29), o Boi Garantido abriu a segunda noite do 48º Festival Foclórico de Parintins com o apresentador do bumbá, Israel Paulain, que destacou a história da família de Lindolfo Monteverde, do alto, em uma estrutura de metal. Cantando a música \\\'Vermelho\\\', ele estava acompanhado apenas por um violinista. De lá, também surgiu Sebastião Júnior, o levantador de toadas. Ele estava em estrutura que tinha o formato do escudo da agremiação e que soltava faíscas nas extremidades. O Bumbúdromo tremeu ao som da toada \\\'Meu eterno Garantido\\\'.

A batucada do Garantido entrou na arena, conduzida pela família Monteverde, descendentes do fundador do boi da \\\'Baixa do São José\\\'. O Amo do Boi, Tony Medeiros, cantou versos da história de Lindolfo. Já Israel Paulain foi além e falou diretamente sobre a criação do centenário do Garantido. Um dos brincantes trouxe um boi semelhante ao que Lindolfo brincava aos 11 anos.

Exaltando a religiosidade da \\\'Baixa do Sâo José\\\', o Boi Garantido surgiu em uma alegoria de pescador suspensa por um guindaste. Antes que ele descesse, a Sinhazinha da Fazenda, Ana Luisa Faria, deu o ar da graça, bailando. Quando \\\'Boi da fé\\\' resolveu aparecer, veio em uma canoa, dentro de uma alegoria que representava São Pedro, o padroeiro dos pescadores.

Na sequência, Sebastião Júnior iniciou a clássica toada \\\'Lamento de Raça\\\', tocando uma flauta indígena. O pajé André Nascimento surpreendeu ao incendiar uma pira em formato de canoa. Ele dividiu a arena com a cunhã-poranga Tatiane Barros.
A porta-estandarde Verena Ferreira surgiu de dentro de uma alegoria de serpente gigante, com olhos iluminados. As tribos foram desenhando um coração na arena. No item \\\'Lenda Amazônica\\\', o Curupira trouxe uma alegoria gigante repleta de detalhes tribais, de onde surgiu a cunhã-poranga Tatiane Barros, que foi suspensa a cerca de 10 metros.

No ritual, uma grande alegoria com muitos elementos indígenas exaltou a fauna e flora amazônica. Tribos passearam pela alegoria. Os índios foram liderados pelo pajé, em atuação magistral, encerrando a apresentação a segunda noite do festival.

Última noite

O apresentador do Garantido, Israel Paulain, abriu o espetáculo na última noite de apresentação \\\'Resistência e Consagração\\\', na terceira e última noite do Festival Folclórico de Parintins. O bumbá fechou sua participação no Festival com a trajetória de 100 anos de existência expressa em alegorias, toadas e evolução folclórica.

A Batucada e o levantador de toadas Sebastião Júnior levaram a nação avermelhada a cantar a toada \\\'Boi do Centenário\\\'. Tony Medeiros, amo do Boi Garantido, versou a paixão ao bumbá vermelho e branco.

O refrão \\\"eu vou te buscar!\\\", da toada \\\'Juma\\\', fez tremer o Bumbódromo, em uma mistura da Batucada com a apresentação de violinistas. A sinhazinha da fazenda do Boi Garantido, Ana Luisa Faria, surgiu de dentro de uma flor para evoluir na arena.
De dentro da alegoria, que representou a lenda de Juma, saiu a cunhã-poranga do Garantido, Tatiane Barros.

Um dos momentos mais empolgantes da apresentação do Boi Vermelho foi protagonizado pelo levantador oficial. Sebastião Júnior defendeu o item toada letra e música com a toada \\\'Tambor\\\'. Enquanto isso, o pajé André Nascimento fez a dança do fogo e deixou sua marca na disputa do Festival 2013.

Ao público presente, a alma do boi (tripa), Denildo Piçanã foi apresentado e reverenciado. A porta-estandarte, Verena Ferreira, mostrou a que veio, e, com garra e graça, a menina de 18 anos prometeu voltar ainda melhor em 2014.

Na celebração tribal, Pajé André Nascimento e cunhã-poranga encenaram espetáculo místico. No auge da brincadeira de boi-bumbá, itens femininos foram para os braços da galera encarnada e festejaram o centenário do Boi com o coração na testa. A alegoria figura típica do juteiro lembrou parte da história da Ilha durante a Segunda Guerra Mundial. A juta foi trazida por imigrantes japonenses que se instalaram no lugar.

Para fechar o espetáculo vermelho e branco, de um balão vermelho gigante, o Boi Garantido surgiu e emocionou jurados, brincantes, itens e caçauerés na última noite do Festival de Parintins 2013. Em lágrimas, aqueles que protagonizaram a apresentação do Boi Encarnado entoaram a toada consagrada no mundo inteiro: Vermelho, de Chico da Silva.

Fonte: Portal Amazônia



Conteúdo Relacionado

Contato

Desenvolvido por:

W7BR Soluções em Tecnologia